sábado, 27 de novembro de 2010

E se eu abraçar a morte em vez de te abraçar a ti?

Tu matas-me cada vez que me olhas. Sempre que me beijas morro mais um bocado. Quando acabas de me abraçar já estou quase morta nos teus braços (nunca reparaste que me falta sempre a força nos joelhos para me manter de pé? Pensa.). Sorris. Dizes que as tuas mãos têm o meu cheiro. Sádico. Esqueces-te de dizer que têm também as minhas lágrimas, o meu suor e o meu sangue. Pensa. Dizes-me que depois me compensas. Não sou uma prostituta. Sou uma apaixonada. Por ti. Sempre quis morrer. Por ti. Rasgaste-me a pele, despedacei-te os lábios, arrancaste-me o peito. Não te rias. Olha para isto, é só beatas e pó. E sangue. Olha o que tu (me) fizeste. Devias lavar o chão com a língua. Porco. Não me olhes mais. Já não me aguento em pé. Não tentes beijar-me. Estou cansada. E se eu abraçar a morte em vez de te abraçar a ti? Tens ciúmes? Então mata-me tu. Obrigada. Amo-te.

9 comentários:

  1. Há muito tempo que não lia uma declaração de amor tão mas tão humana e crua... que ainda estou sem palavras...
    Das melhores coisas que li na blogosfera nos ultimos tempos.

    Parabéns.

    ResponderEliminar
  2. AMEI! Está lindo, lindo, lindo!!!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. acredito, gosto imenso de imaginar essas coisas! (:
    vou seguir-te querida

    ResponderEliminar
  4. Ta muito lindo, adorei..
    Escreves muito bem.
    Parabens
    vou seguir

    ResponderEliminar
  5. está lindo, como já me habituaste a ler-te ;)

    ResponderEliminar
  6. Fortes... mas bonitas, estas palavras ;)

    ResponderEliminar
  7. Meu deus, escreves incrivelmente bem..
    ADORO!

    ResponderEliminar
  8. amei , escreves mesmo bem *.*
    - vou seguir *

    ResponderEliminar