quarta-feira, 7 de julho de 2010

Deve ser genético. Qualquer dia passa

Como define a Sirigaita, eu tenho a PDM* e, mais concretamente, comecei há uns anos a usar a técnica TBOPNC** com toda a gente, principalmente com os 'possíveis' namorados ( que depois de conhecerem a peça se põem na alheta muito rapidamente). Nunca fui de confiar nas pessoas. Em todas elas sempre vi variados motivos para não lhes confiar demasiado as minhas vivências, medos e pensamentos. E com o passar do tempo isso só se foi agravando. Tenho os meus amigos e confio neles, é certo, mas no que toca relações o filme é outro. Desde o meu primeiro desgosto amoroso (que remota aos meus tenros 12 anos) que aprendi a adoptar uma postura diferente. Actuo com frieza, indiferença e mostro-me independente, chegando a roçar a arrogância e o "brutamontes". Nasci com uma língua afiada, o que me dá o privilégio de ter quase sempre resposta para tudo. E alguns não gostam. Como a minha mãe diz, "prefere partir do que vergar", ou seja, orgulho a transbordar por todos os poros. Eu respondo que devo ter saído a ela. Demonstro, penso e muitas vezes até digo que "não gosto assim tanto dele". E vou acertando. Até ao dia em que descobri que afinal gostava. Que afinal não era assim tão independente como julgava. E que ele já tinha partido porque eu o mandei dar uma curva. Duas vezes. Só disse "amo-te" a uma pessoa até hoje. E foi à errada. 90% das pessoas que me viam e que me conheceram pessoalmente tempos depois disseram-me que nunca pensaram que eu fosse como sou. Julgavam-me fria, convencida e arrogante. E até posso ser, e sou, para quem merece. É costume acharem estranho quando eu sou querida para alguém e já me chegaram a bater palmas por um acto carinhoso qualquer que eu tive. No entanto, a maioria das pessoas à minha volta são ao contrário: distribuem sorrisos a tudo o que mexe mas, quando conhecemos bem, são o maior gelo. Dizem frequentemente que sou má. Eu sorrio e digo que posso ser muito ruim sim, mas pelo menos não sou cínica como muita boa gente.

*PDM: puta da mania
**TBOPNC: trata-me bem ou põe-te no caralho

9 comentários:

  1. ora lá está. também sou um pouco assim. não tanto, julgo, mas às vezes sou fria e arrogante para algumas pessoas. penso no fundo que se trata de uma defesa para não me deixar enterrar demais, para não sofrer com ilusões e coisas do género. nem sempre funciona, mas é uma ajuda ^^

    ResponderEliminar
  2. Posso estar redondamente enganada, mas acho que estes parágrafos dão para te definir em duas palavras: personalidade forte :)

    ResponderEliminar
  3. "Só disse "amo-te" a uma pessoa até hoje. E foi à errada."...Assino em baixo.

    Nunca mais voltei a dizer, e não sei se voltarei, tão cedo pelo menos.

    Eu prefiro considerar que sou indiferente quando não gosto das pessoas =) apesar de a minha mãe me chamar de fria e insensivel!

    ResponderEliminar
  4. isso do TBOPNC, é uma boa medida!

    ResponderEliminar
  5. Por este texto, acho que sou bastante parecida contigo :P
    A desculpa foi: Vou ter com a Sofia :b

    ResponderEliminar
  6. Palavras que poderiam ser minhas.

    Parabéns

    ResponderEliminar
  7. Tens razão, obrigada pela correcção :)
    E para seguir é na barra 'navbar' !(:

    ResponderEliminar